Gestão de recursos

Grandes fundações se solidarizam com vítimas e cobram Vale por Brumadinho

Os grandes fundos de pensão, que detêm participação acionária na Vale, divulgaram comunicados prestando solidariedade às vítimas e familiares do acidente em Brumadinho, e cobrando medidas por parte da mineradora. “Como acionistas da Vale, estamos nos certificando de que a companhia está dando todo o suporte possível para os atingidos, bem como adotará providências para apurar os motivos do acidente”, escreveu a Previ.

“A Petros está consternada frente à tragédia ocorrida em Brumadinho, Minas Gerais. Cabe, nesse primeiro momento, como acionistas da Vale, e através dela, atuar nas buscas e no atendimento às vítimas”, diz o comunicado do fundo de pensão da Petrobras, que informa ainda que a EFPC demanda que a mineradora realize uma rigorosa apuração dos fatos que levaram ao rompimento da barragem, com consequente e necessária penalização exemplar dos responsáveis.

“A Petros reforça seu engajamento e compromisso com os critérios ambiental, social e de governança (ASG), o que mais uma vez se comprova como fundamental na busca de preservação de valor dos seus investimentos. As empresas nas quais investimos devem demonstrar para a sociedade as ações que realizam para mitigar tais riscos, bem como apresentar planos de aprimoramento para sua atuação, de forma transparente, sempre que deficiências sejam identificadas”, complementa a Petros.

A Funcef, por sua vez, escreveu que, na condição de acionista indireta da Vale, vem acompanhando atentamente as ações realizadas pela companhia até o momento. “Nosso compromisso é garantir que os atingidos recebam todo o suporte necessário e que os motivos do acidente sejam apurados com a máxima transparência”.

Já a Funcesp, também investidora da Vale, afirma em comunicado que, por defender incondicionalmente em seus investimentos os princípios de boa governança, de defesa do meio ambiente e de respeito à sociedade em que se insere, demanda à Vale total apoio às vítimas e suas famílias e reitera a necessidade de rigorosa apuração das responsabilidades, aplicação das devidas medidas punitivas e a adoção de procedimentos preventivos, de modo a minimizar ao máximo o risco de novas ocorrências desse tipo.

“Como signatária do PRI (Princípios para Investimentos Responsáveis) e aderente ao Código de Stewardship da Amec a Funcesp entende ser seu dever fiduciário cobrar uma gestão responsável das empresas nas quais investe, o que é fundamental para a preservação de seus investimentos e do bem-estar da sociedade. Por isso, informa seus participantes que acompanhará diligentemente os desdobramentos da tragédia e estará atenta às condutas adotadas pela empresa para minimizar seus efeitos e evitar novas ocorrências”.

“A Valia lamenta profundamente a tragédia ocorrida com o rompimento da barragem em Brumadinho. Dedicamos toda nossa solidariedade às vítimas e a seus familiares. Estamos em prontidão para apoiar a todos da melhor forma que pudermos”, diz a Valia.