Regulatório

Rioprevidência é o primeiro instituto a ser certificado no Pró-Gestão, cumprindo 80% dos requisitos

RioprevidenciaO Rioprevidência é o primeiro RPPS a obter o certificado pelo  Pró-Gestão RPPS. Filiado ao programa desde junho este ano, o instituto do Rio de Janeiro realizou, durante os últimos três meses, uma força-tarefa para reunir documentos necessários e se adequar às normas técnicas do programa por meio de aprimoramento dos manuais internos.

De acordo com o diretor-presidente do instituto,  Reges Moisés dos Santos, o instituto passou pelo crivo dos três principais requisitos do certificado - controles internos, governança corporativa e educação previdenciária - cumprindo 80% das 24 ações solicitadas, o que deu ao Rioprevidência o Nível II de certificação. Entre as ações solicitadas estão o mapeamento das atividades das áreas de benefícios e investimentos, a manualização das atividades das áreas de benefícios e investimentos, a capacitação e certificação dos gestores e servidores das áreas de risco, a estrutura de controle interno, a política de segurança da informação e o relatório de governança corporativa, entre outros.

“Temos implantado ações voltadas para boas práticas de gestão, transparência e conformidade ao longo dos anos. Ao surgir a oportunidade, nós pleiteamos o certificado. O processo começou em junho; nesse meio tempo recebemos a auditoria da empresa certificadora, e recebemos o Certificado de Pró-Gestão em setembro”, explica Santos. A certificação aconteceu após realização de auditoria pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini, que é uma das entidades credenciadas pelo Pró-Gestão RPPS para certificar os regimes próprios que adotaram o sistema de gestão definido no programa. “Nossos manuais foram repaginados e alguns processos internos reavaliados”, complementa o presidente do Rioprevidência.

Até o início de setembro, 54 entes federativos já haviam ingressado no Pró-Gestão, que foi criado para incentivar os RPPS a adotarem melhores práticas de gestão previdenciária, de forma a proporcionar maior controle dos seus ativos e passivos e a conferir mais transparência no relacionamento com os segurados e a sociedade.