Renda fixa

Gestores acreditam que cenário pós-eleições é favorável à diversificação das carteiras dos RPPS

Sandoval,Daniel(CEF) 16outGestores de ativos que fazem a gestão de recursos de regime próprios de previdência estão mais otimistas que o atual cenário econômico do país levará os institutos a buscarem maior diversificação em suas carteiras de investimentos. O movimento já é observado pelas assets desde o resultado do 1º turno das eleições, quando o então candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) obteve maioria dos votos. “Muitas preços de ativos começaram a subir e oportunidades surgiram antes do resultado final das eleições. As pesquisas mostrando uma vantagem do Bolsonaro sobre Fernando Haddad (PT) refletiu nos preços”, diz o gerente nacional de investidores corporativos da Caixa Econômica, Daniel Boueres Sandoval.

Na renda fixa, Sandoval acredita que os ativos prefixados já precificaram uma vitória do Bolsonaro e as NTN-Bs mais longas, que estavam com um prêmio de 5,9%, caíram para um patamar de 5,10% e alguns papéis desceram abaixo de 5%. “Com relação à renda variável, é o fator de risco que mais vai se beneficiar nesse período pós-eleições. Temos um cenário de bolsa de valores atingindo entre 95 mil pontos e 100 mil pontos até o final do ano e estamos orientando os clientes a aproveitar esse movimento e começar a tomar mais risco em renda variável”, explica Sandoval.

Gestão ativa - A BB DTVM tem aproveitado o cenário para oferecer aos RPPS uma gestão mais ativa em renda fixa. Com a definição do cenário eleitoral, a queda do risco inflacionário e a apreciação do real, além da manutenção da taxa de juros em um patamar mais baixo, o desafio para os regimes próprios é conseguir rentabilizar as carteiras com uma meta de inflação entre 5% e 6%. “Buscamos oferecer uma alternativa aos RPPS para aplicar em um fundo de renda fixa ativo, com três fatores de risco: juros pós-fixados, que acompanham taxa de juros no curto prazo; juros prefixados, com uma duration de 2 anos e meio; e os título indexados à inflação, medidos pelo IMA-B”, explica o gerente executivo de fundos renda fixa da BB DTVM, Flávio Mattos.

Para Mattos, diante de toda a volatilidade que o mercado financeiro apresentou este ano, os regimes próprios entenderam que podem fazer uma gestão ativa e aplicar mais seus recursos em fatores de risco. “É um grande desafio, pois a curva de juros mostrou declínio importante, mas tem um prêmio a ser perseguido. Daqui pra frente, tudo dependerá de como o governo vai endereçar a questão das reformas, o que é um passo a ser perseguido para que tenhamos uma melhora no desempenho do mercado, queda no risco e centralidade da taxa de juros num patamar abaixo de dois dígitos”, ressalta o gestor.

Diversidade de produtos - Com uma avaliação positiva sobre as mudanças recentes na regulação dos regimes próprios e uma busca dos seus clientes por maior governança, a Western Asset Management se sente confiante para atrair mais os regimes próprios à sua grade de produtos, mantendo mandatos mais sofisticados através de uma gestão ativa entre fundos. “Alguns regime próprios do sul do país, como o de Joinville, adotaram esse tipo de gestão, que nos dá a liberdade de escolher o tipo de diversificação que o RPPS poderá fazer dentro das estratégias enquadradas na regulação”, explica o diretor executivo da Western Asset, Marc Forster.  “São mandatos mais sofisticados em que, além de investir em fundo com gestão ativa, a gente faz uma gestão entre os fundos”. Segundo o diretor de investimentos da gestora, Paulo Clini, a diversificação entre fundos é uma decisão complexa para os RPPS, que ainda não sabem a melhor maneira de tomar essa decisão.

Clini diz ainda que, para 2019, a recomendação é aumentar o risco, mas que esse risco seja sempre monitorado. “Temos sugerido maior exposição a juros de longo prazo; bolsa de valores, com um maior olhar para as empresas que devem voltar a ser mais lucrativas com a estabilização do cenário econômico, e crédito”, diz Paulo Clini. A Western já possui esses produtos, e a ideia é que os RPPS diversifiquem mais entre os produtos que já existem, tornando a oferta mais completa.